Por uma perspectiva unitária na análise interseccional em Comunicação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31657/rcp.v7i13.660

Resumo

Neste artigo, apresentamos a importância de uma perspectiva unitária em análises interseccionais na Comunicação. Partimos da ideia de que, no momento em que há uma relação de opressão no qual, atualmente, toma uma forma específica derivada da organização socioeconômica em vigência, ela deve ser percebida de modo unitário, havendo uma dialética conexão com a esfera da reprodução social. Associando os métodos da roleta interseccional, da teoria da reprodução social com a análise de conteúdo, investigaremos como a produção de publicações do Geledés, para a rede social digital Facebook, com foco no tema “interseccionalidade”, atualiza o conceito de “classe” como categoria interseccional.

Biografia do Autor

  • Samara Brochado, Universidade Federal Fluminense

    Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Mídia e Cotidiano, da Universidade Federal Fluminense. Bolsista FAPERJ. Mestre em Ciências da Comunicação, pela Universidade Fernando Pessoa (Portugal). Integrante do Grupo de Pesquisa GE.TRS - Grupo de Estudos sobre Teoria da Reprodução Social.

  • Pedro Henrique Conceição dos Santos, Universidade Federal Fluminense

    Doutor em Mídia e Cotidiano, pelo programa de Pós-Gradução em Mídia e Cotidiano da Universidade Federal Fluminense (2023). Mestre em Comunicação, pelo programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense (2018). Bacharel em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (2015).

Downloads

Publicado

27/10/2023

Como Citar

Por uma perspectiva unitária na análise interseccional em Comunicação. (2023). PAULUS: Revista De Comunicação Da FAPCOM, 7(13). https://doi.org/10.31657/rcp.v7i13.660